Beer Tour na Cervejaria Abadessa… danke, Schumacher!

Depois de algum tempo offline, resolvi voltar contando nossa primeira experiência em um “Beer Tour”, realizado no final de semana passado. Organizar esse tipo de evento pela primeira vez, confesso que fiquei preocupado, pois além da responsabilidade burocrática, havia a questão (e tensão) de que tudo desse certo. E não é que, além de tudo ocorrer bem, ganhamos (o grupo) um “plus” no conhecimento sobre (ótimas) cervejas.

E onde foi esse “plus”, e daí também que vem a tensão, por termos ido à uma cervejaria que hoje é referência em cerveja artesanal? Tem nome e endereço: Cervejaria Abadessa (http://www.abade.com.br/) , em Pareci Novo – RS, uma micro cidade ao lado de Montenegro (e CPF também, porque o mestre cervejeiro Schumacher é o responsável por toda essa história que vou contar).

Estávamos em 15 pessoas, pegamos uma van na gelada última manhã de sábado, na frente da Costi Bebidas Zona Sul, e pé na estrada. Viagem tranquila (BR 116 agitada em pleno sábado de manhã!), chegamos ao destino.

Fomos (muito bem) recebidos pelo mestre cervejeiro da empresa, o famoso Schumacher, um brasileiro-alemão-brasileiro (ou gaúcho-alemão-gaúcho?), que já de início contou sua história: formado em ciências políticas por uma das mais respeitadas universidades da Alemanha, percebeu que aqui, no país da “Ordem e Progresso”, ele não conseguiria implementar tudo aquilo que aprendeu em sala de aula. Resolveu olhar com mais cuidado a questão da cerveja (se bem que, em plena Munique, região da Bavária, um dos centros cervejeiros do mundo, não é muito difícil olhar com mais cuidado as cervejas). Estuda aqui, estuda lá, trabalhou em uma cervejaria alemã por anos, sempre com um olho no mercado brasileiro de cervejas. Especialmente neste mercado, havia todo um movimento das “grandes”: grandes empresas, para ganharem mais musculatura, adquiriam cada vez mais as pequenas, e o resto da história todo mundo já sabe.

E o Schumacher enxergou nesse movimento uma oportunidade, que era a de uma filosofia inovadora até então no Brasil: produzir menos cerveja, mas com alta qualidade. Mas em Pareci Novo? Sim, em Pareci Novo, por causa do ingrediente top top da bebida sagrada: água. Só para você, leitor, ter uma ideia dessa tal qualidade, o cara mandou para a Alemanha uma amostra de água só para saber que tipos de cerveja poderiam ser fabricadas com tal. E são elas: Helles/Munique, Export, Slava (pilsen), e algumas sazonais. Todas fabricadas com malte vindo da Bélgica, ou da Alemanha.

Conhecemos desde a composição dos ingredientes que fazem uma cerveja, produção, armazenamento e… as cervejas “on tap”, claro! Lá, simplicidade é o nome, porém não menos interessante. São tanques, sacos de malte, quadros em alemão nas paredes, tudo muito bem organizado. Não conhece a cerveja Abadessa? Bóra conhecer! Já tomou alguma Abadessa e não visitou a cervejaria? Bóra conhecer! Resumindo, a Cervejaria Abadessa é uma típica micro-cervejaria, encravada no interior, mas com muitas histórias para contar (e bem contadas, diga-se de passagem, pelo nosso mestre cervejeiro). E como é bom saber que temos em nosso meio pessoas que se preocupam em mandar para a mesa cervejas de ótima qualidade. Danke, Schumacher!

 

Lucas Bueno (@buenolf) – Consultor de Cervejas Costi Bebidas Zona Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.