Conheça a Floreffe Tripel

Cerveja belga Floreffe Tripel

Sabe aquela música que diz “Um gira mundo como eu…”? Não? Google it. Bueno, gira mundo porque hoje, depois das Ilhas Fiji, vamos para a Bélgica. Capital Bruxelas, sede da União Europeia, da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), com mistura de flamengos que falam holandês, os valões que falam francês e, claro, uma pequena parcela dos que falam… alemão (sempre tem que ter um pé na Alemanha quando trata-se de cerveja).

Pega ali os valões, e é para lá que vamos. Lá é produzida, na região francófona da Valónia, no sul da Bélgica, com 31% da população belga, a cerveja degustada. Trata-se da Floreffe Tripel, produzida pela cervejaria Lefebvre, na cidade de Quenast… chega de confusão com letras e nomes, porque o que interessa mesmo é a Floreffe Tripel, que é considerada, ou melhor, a empresa considera, uma cerveja de Abadia, que de Abadia não tem… bom, a cerveja!

Tampas para o ar, a cor é diferenciada: marrom claro. No aroma, forte presença do álcool, notas de especiarias, lembra damasco, também caramelo. Outra característica do aroma bastante presente é o malte. O creme desta pequena notável (330ml) impressiona, com média densidade, um branco bonito de se ver.

O álcool sempre está presente, lógico, mas essa Floreffe Tripel… Amargor típico das Tripel, suave, mas sempre ele ali, o álcool. Baixa carbonatação, bem pouco adocicado, e outro que sempre dá um “oi”, o malte. Aliás, o álcool a toda hora, e o malte idem, tem uma explicação. A Floreffe Tripel possui 7,3% de álcool, e é refermentada na garrafa, o que salienta o malte. No retrogosto, amargor quase seco e, de novo ele, alcoolizado.

Para quem não conhece as cervejas Tripel, talvez seja uma boa opção começar por uma Floreffe (relação custo X benefício). Para quem já conhece essa turma, onde a comparação será inevitável, dê uma chance para ela. A família Lefebvre, que decidiu fabricar cerveja lá em 1876 para operários da cidade, e mantém até hoje membros da família na cervejaria, e no mesmo lugar, merece nosso respeito. Ué, mas uma cerveja da Abadia não tem monges silenciosos que fabricam em tachos seculares a cerveja?! Também se pratica marketing na Disneylândia da cerveja.

cerveja belga floreffe

Cerveja Floreffe Blond: Sua amargura sutil vem de um “blend” especial de lúpulos desenvolvido ao longo de muitos anos. Durante a fervura, especiarias são adicionadas, o que torna seu sabor inconfundível. Após fermentar e maturar, a cerveja é clarificada em uma centrífuga, sem filtragem. Compre aqui

 

cerveja belga floreffe

Sua bela cor marrom e seu sabor maltado surgem a partir de um “blend” de maltes especiais. O processo de fermentação principal dura uma semana inteira, graças a leveduras cuidadosamente selecionadas. Compre aqui

 

 

cerveja belga floreffe

Fabricada a partir de uma velha receita dos monges da Abadia de Floreffe, é refermentada na garrafa com adição de fermentos e especiarias. Compre aqui

 

 

 

Taça para a cerveja Floreffe. Compre aqui

 

 

 

 

Por Lucas Bueno (@buenolf)-  Consultor de Cerveja Costi Bebidas Zona Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.